NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS

Ações Empreendedoras que Transformam a Sociedade

26/02/2014

Compartilhar

(*) Márcia Moussallem

A FMC-ETE é a primeira escola de eletrônica da América Latina e a 7ª a ser criada no mundo

Não podemos deixar de observar e reconhecer as inúmeras iniciativas empreendedoras por parte da sociedade civil. De norte a sul do país, as ações e projetos inovadores passam a fazer parte do cenário público, beneficiando um número grande de pessoas.

Apesar da forte tradição cultural de um Estado patrimonialista e de uma sociedade civil tutelada por esse Estado, novas ações coletivas apontam para mudanças e inovações no que diz respeito a uma agenda local de participação e inovação na solução dos problemas sociais.

A sociedade civil tem, por sua vez, mostrado a capacidade de construir variadas formas de organização, de identidade, de solidariedade, bem como de organização democrática. Neste cenário, as ações nascem a partir de uma idéia, um sonho de uma pessoa ou de um grupo de pessoas e passam a ser compartilhadas em benéfico público.

É a inquietação e a vontade de fazer algo frente às questões sociais que ultrapassa a ideologia individualista capitalista para a construção de uma sociedade mais justa. Como dizia um velho sábio árabe: “Ter uma ideia que traga o bem ao outro independe do sistema que vivemos”.

Um dos casos inovadores e de empreendedorismo que vale a pena a ser citado é o da Fundação Dona Mindoca Rennó Moreira, criada em 1959 no município de Santa Rita do Sapucaí (MG). O sonho de uma mulher de classe alta chamada Luzia Rennó Moreira, dona Sinhá Moreira, em construir uma escola técnica de eletrônica (a ETE), passou a fazer parte de um sonho coletivo e de desenvolvimento de uma comunidade.           Essa mulher destinou um valor substancial e parte dos seus bens patrimoniais a um fundo para a entidade, por meio de um testamento para a criação de uma fundação. Destacou em seu testamento que a missão de dirigir seu empreendimento educacional caberia aos padres jesuítas.

A FMC-ETE é a primeira escola de eletrônica da América Latina e a 7ª a ser criada no mundo. A maioria dos alunos que ingressa na escola é proveniente de classes sociais com baixa renda, cujas famílias não têm condições de oferecer um curso técnico e profissionalizante aos seus filhos. É reconhecida como a responsável pela origem do vale da eletrônica do Brasil, formado por de mais de 200 empresas voltadas para produtos eletrônicos, muitas delas fundadas por empresários ex-alunos da FMC-ETE.

Casos como esse precisam ser conhecidos e destacados. Infelizmente, são casos que na maioria das vezes são desconhecidos, mas que, com certeza, são singulares como ações empreendedoras que contribuem para a melhoria da qualidade de vida da população. O valor dessas ações não pode e não deve ser analisado como sinônimo de ações filantrópicas individuais, mas como um exemplo de cidadania de que é possível a sociedade civil criar alternativas que promovam o desenvolvimento.

Conheça mais sobre a escola. Acesse http://www.ete.g12.br/

Márcia Moussallem, 43 anos, Socióloga, MBA em Gestão para Organizações do Terceiro Setor, Mestre e Doutoranda em Serviço Social pela PUC/SP. Professora da PUC/COGEAE/SP e FGV/PEC/SP. Sócia da empresa Merege & Moussallem – Consultores.

 

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.