NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS CONFERÊNCIA ETHOS

Conferência Ethos apresenta relatório e analisa situação das cidades pós-pandêmicas

Relatório de pesquisa do projeto “Ven, Tú Puedes!” e desafios enfrentados pelas cidades após a pandemia foram destaques na Conferência Ethos

27/08/2021

Compartilhar

 

A penúltima semana de agosto foi recheada de atividades diversas na Conferência Ethos. O projeto “Ven, Tú Puedes!”, fruto da colaboração entre o Instituto Ethos e a Visão Mundial, cujo objetivo é assistir pessoas migrantes e refugiadas com projetos para a adaptação e independência financeira, publicou o relatório de mapeamento de cenário de inclusão e diversidade nas empresas.

A Conferência também contou com painéis que discutiram sobre os modelos e tendências das cidades pós-pandêmicas, e como o “pós” se relaciona intrinsicamente com o agora. Essa relação faz com que seja cada vez mais urgente a criação de estratégias de reparação e mitigação dos danos causados pela crise sanitária que assola o país.

Por fim, especialistas dialogaram sobre a importância das certificações setoriais no âmbito da mineração e como a atividade deve ser acompanhada de maneira transparente pela sociedade.

Todos esses diálogos estão disponíveis em um único lugar: no canal do Instituto Ethos no YouTube!

Confira alguns destaques

Lançamento da pesquisa do projeto “Ven, Tú Puedes!”

 

Scarlett Rodrigues

Assista ao painel

Elaborado através de uma parceria entre as organizações não governamentais Instituto Ethos e Visão Mundial, o relatório de pesquisa “Ven, Tú Puedes!” visa mapear o cenário e verificar como as empresas estão inclinadas, de forma geral, para a agenda de diversidade e inclusão.

O painel foi apresentado por Scarlett Rodrigues, coordenadora de projetos de Direitos Humanos do Instituto Ethos. “Segundos os dados do ACNUR, em 2020 houve 28.899 solicitações de condição de refúgio, sendo que o Comitê Nacional para Refugiados, o Conare, reconheceu 26.577 pessoas”, compartilhou a coordenadora.

Participaram da pesquisa empresas, organizações não governamentais, fundações sem fins lucrativos e sindicatos. Houve um número expressivo de micro e pequenas empresas que responderam a pesquisa, caindo por terra a falácia de que apenas grandes empresas se importam com políticas de diversidade e inclusão.

 

“No epicentro disso tudo, das vulnerabilidades e das violências, encontram-se grupos sociais que são marcados historicamente pelas violações de direitos humanos. E aqui, a gente pode mencionar a população refugiada e migrante.”
Scarlett Rodrigues

 

Acesse o relatório de pesquisa

Desafios e tendências das cidades pós-pandêmicas

 

Rodrigo Perpétuo, Raquel Rolnik e Jorge Abrahão

Assista ao painel

Com o avanço da vacinação, traçar estratégias de recuperação pós-pandemia torna-se cada vez mais necessário. O painel, mediado por Caio Magri, diretor-presidente do Instituto Ethos, teve como objetivo promover o diálogo sobre os desafios, tendências e situações concretas na vida de toda a sociedade nas cidades pós-pandêmicas.

“De toda forma, as cidades têm que se preparar, nós temos que nos preparar, com medidas de mitigação, correção, mas também de adaptação, para que possamos conseguir construir condições dignas para todos”, explicou Caio Magri.

A pandemia soma-se a outros fatores prejudiciais que já estavam instaurados em nossa sociedade. Raquel Rolnik, coordenadora do Labcidade, criticou fortemente o status quo pré-pandêmico, por ser um modelo focado em crescimento, produção e transformação ilimitada sob uma ótica extrativista. “No sentido de retirar do território aquilo que ele já pode dar para a produção e crescimento ilimitado, e, sobretudo extrativista na perspectiva da retirada de renda”, explicou a coordenadora.

 

“A própria pandemia é a expressão e agudização das múltiplas crises que estamos vivendo.”
Raquel Rolnik

 

Jorge Abrahão, diretor-presidente do Instituto Cidades Sustentáveis, complementou a fala de Raquel: “A pandemia está nos trazendo uma série de aprendizados. Eu tenho dúvidas, como a Raquel, se nós vamos absorver isso. Por outro lado, eu acho que quando olhamos os movimentos históricos que ocorreram na sociedade, percebemos que demora um tempo. Eu acho que esse trauma coletivo que vivemos vai gerar mudanças, mas talvez demore um pouco mais de tempo do que a gente gostaria”.

O secretário executivo para a América do Sul no ICLEI, Rodrigo Perpétuo, também se pronunciou em consonância com a Rolnik: “A maior parte da população mundial está nas cidades, essa já é uma realidade há muito tempo presente em nosso continente latino-americano. Essa urbanização obedece a padrões desconexos, a Raquel caracterizou muito bem e o Jorge completou, é uma urbanização da desigualdade e da injustiça social, e eu diria mais: uma urbanização do desrespeito ao meio ambiente”.

Padrões multi-stakeholders na pauta ESG

 

Wilfred Brujin, Wagner Brito, Guilherme Abreu e Anne-Claire Howard

Assista ao painel

O painel, mediado por Guilherme Abreu, gerente-geral de Relações Institucionais e Sustentabilidade da ArcelorMittal Brasil, abordou como as certificações multi-stakeholder podem apoiar a construção de uma sociedade mais sustentável.

Guilherme apontou para como o aço tem um papel especial nesse processo. “O aço é o material que promove o desenvolvimento da sociedade e é necessário”, afirmou o gerente-geral.

Wilfred Brujin (Bill), CEO da AngloAmerican Brasil, pontuou a importância de se ter certificações setoriais para que as empresas tenham o reconhecimento de mercado e das regiões em que atuam. Para o CEO, não é possível trabalhar no setor de mineração de maneira isolada, pois cabe as demais empresas apresentar para a sociedade os posicionamentos, medidas de segurança e práticas usadas.

Wagner de Brito Barbosa, diretor da ArcelorMittal BioFlorestas e Mineração Brasil, reiterou a fala de Wilfred, e destacou que “a sociedade cobra ações importantes, seja para desenvolver a região onde trabalham ou para crescerem juntos”.

Conferência Ethos

Acompanhe as discussões completas da Conferência Ethos através do canal do Instituto Ethos no YouTube e consulte a programação pelo site oficial.

Por: Lucas Costa Souza, do Instituto Ethos

Foto: Unsplash

Usamos cookies para que você possa ter uma boa experiência ao navegar.
Ao usar o site você concorda com o uso de cookies.
Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2021 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.

Usamos ResponsiveVoice - NonCommercial para converter texto para fala.