NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS DIREITOS HUMANOS

Fome no mundo quase dobra em 2 anos e atinge novo pico

O Programa Mundial de Alimentos da ONU (WFP) alertou em 08/11 que o número de pessoas à beira da fome em 43 países subiu para 45 milhões

30/11/2021

Compartilhar

No levantamento anterior, no início do ano, esse número era de 42 milhões e 27 milhões em 2019. Ainda de acordo com a agência, houve um aumento da fome aguda em todo o mundo

O aumento é baseado naqueles que vivem dentro da classificação oficial da fome, o índice de Insegurança Alimentar Aguda (IPC AFI), que inclui o Afeganistão, junto com outros aumentos na Etiópia, Haiti, Somália, Angola, Quênia e Burundi.

“Dezenas de milhões de pessoas estão olhando para o abismo. Temos conflitos, mudança climática e a COVID-19 aumentando o número de pessoas com fome aguda, e os dados mais recentes mostram que agora há mais de 45 milhões de pessoas marchando para a beira da fome ”, disse o diretor executivo do WFP, David Beasley.

Ele descreveu a situação urgente após uma missão de apuração de fatos ao Afeganistão, onde o WFP está aumentando seu apoio para ajudar quase 23 milhões de pessoas necessitadas.

“Os custos dos combustíveis estão subindo, os preços dos alimentos estão subindo, os fertilizantes estão mais caros e tudo isso leva a novas crises como a que está ocorrendo agora no Afeganistão, bem como a emergências de longa data como o Iêmen e a Síria”, explicou o chefe da agência.

Recursos escassos

O WFP informou que, junto a parceiros humanitários, eles estão fazendo todo o possível para aumentar a ajuda para milhões de pessoas que correm o risco de morrer de fome  em diversas partes do mundo. No entanto, os recursos disponíveis são incapazes de acompanhar a demanda, em um momento em que os fluxos tradicionais de financiamento estão sob grande pressão.

O Programa estima que o custo de evitar a fome globalmente agora é de 7 bilhões de dólares, em comparação a cerca de 6,6 bilhões no início do ano.

“À medida que o custo da assistência humanitária aumenta exponencialmente, precisamos de mais fundos para alcançar as famílias em todo o mundo que já esgotaram sua capacidade de lidar com a fome extrema”, acrescentou o chefe do WFP.

Decisões extremas

A agência da ONU informou que famílias que enfrentam insegurança alimentar aguda estão sendo forçadas a fazer “escolhas devastadoras” para lidar com o aumento da fome.

Uma análise de vulnerabilidade nos 43 países pesquisados ​​mostra que as famílias são forçadas a comer menos ou pular totalmente as refeições. Às vezes, as crianças são alimentadas, enquanto os pais sacrificam as refeições e são forçados a passar fome.

Em Madagascar, onde bolsões de fome já são uma realidade, alguns são forçados a comer gafanhotos, folhas selvagens ou cactos para sobreviver.

 

Por: Nações Unidas Brasil

Foto: Nações Unidas Brasil

Usamos cookies para que você possa ter uma boa experiência ao navegar.
Ao usar o site você concorda com o uso de cookies.
Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2021 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.

Usamos ResponsiveVoice - NonCommercial para converter texto para fala.