NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS

Natura conquista certificação B Corporation pela sustentabilidade dos seus negócios

17/12/2014

Compartilhar

A multinacional brasileira de cosméticos reforça um movimento global de empresas conectadas para a promoção de uma sociedade mais sustentável.

A Natura, líder em higiene pessoal, perfumaria e cosméticos no Brasil, acaba de receber a certificação de B Corporation – “Benefit Corporation” – e reforça um movimento global de empresas conectadas para a promoção de uma sociedade mais sustentável. Com isso, a companhia torna-se a primeira B Corp de capital aberto da América Latina e a maior do mundo, em receita e número de colaboradores.

Para celebrar essa conquista, a empresa convidou a sociedade para discutir a evolução do modelo de gestão das empresas para uma nova economia, em mais um passo para o desenvolvimento sustentável, com o desafio de gerar impacto positivo para a sociedade e meio ambiente.

Intitulado “Pense Impacto Positivo”, o evento foi realizado em 9 de dezembro, em São Paulo, e contou com a participação de especialistas da área de sustentabilidade, empresários, acadêmicos e representantes de ONGs que, juntos, visam dar um novo olhar às práticas corporativas. Andrew Morlet, CEO da Fundação Ellen MacArthur, organização que mobiliza a sociedade em torno de um novo modelo para a geração de impacto positivo – a economia circular –, e Jay Coen Gilbert, fundador do B Lab, organização americana sem fins lucrativos, responsável pela certificação B Corp, foram alguns dos palestrantes.

“Mais do que contribuir com a sociedade a partir da adoção de práticas sustentáveis, queremos promover um movimento crescente de conscientização e busca de soluções para um futuro mais equilibrado e justo, do ponto de vista econômico, social e ambiental”, afirma Roberto Lima, presidente da Natura. “A conquista dessa importante certificação reforça nossa crença de que devemos buscar sim o lucro, base de nossa operação, mas que ele não deve ser a finalidade única de nossa existência.”

No evento, a Natura também apresentou sua nova “Visão de Sustentabilidade”, abordando as diretrizes que nortearão a sua atuação empresarial até 2050, com ambições e compromissos até 2020.

Entre os princípios que orientaram o desenvolvimento desse novo modelo de atuação estão: a economia circular; incentivo ao consumo consciente; responsabilidade pela cadeia de valor; geração de impacto social por meio de incentivo à educação; e novos modelos de negócios sustentáveis.

“A sociedade atribuirá maior valor àquelas companhias que exercerem um papel de agente de transformação socioambiental. Queremos ampliar o potencial de nossa empresa na ação geradora de negócios aliados à mudança cultural e educacional”, diz João Paulo Ferreira, vice-presidente comercial e de Sustentabilidade da Natura.

A nova “Visão de Sustentabilidade” da Natura apresenta diretrizes para todos os negócios da companhia no longo prazo, para o ano de 2050, e ambições e compromissos concretos a serem cumpridos pela marca até 2020. Concentra iniciativas em três pilares – “Marcas e Produtos”, “Rede de Relações” e “Gestão e Organização” –, com o objetivo de ir além de neutralizar os efeitos gerados pelo próprio negócio e promover o impacto positivo nos âmbitos econômico, ambiental, social e cultural.

No pilar “Marcas e Produtos”, as expressões das marcas devem estimular novos valores e comportamentos necessários à construção de um mundo mais sustentável, buscando a vanguarda e o pioneirismo em inovação a partir de tecnologias sustentáveis. As linhas SOU e Ekos, ícones importantes da história da Natura, mostram como materializar nas submarcas os conceitos do consumo consciente e da valorização da sociobiodiversidade brasileira.

As diretrizes para esse pilar são as seguintes:

Formulação

  • 30% dos insumos consumidos pela Natura em valor serão provenientes da região pan-amazônica (13,4% em 2013).

Embalagens

  • utilizar, no mínimo, 75% de material reciclável na massa total das embalagens (56% em 2013);
  • utilizar, no mínimo, 10% de material reciclado pós-consumo na massa total de embalagens (1,43% em 2013);
  • 40% das unidades faturadas Natura serão embalagens ecoeficientes (21,5% em 2013).

Carbono

  • reduzir em 33% a emissão relativa de carbono (2020 X 2012) (redução de 33,2% em 2013×2006).

Resíduos

  • implementar sistema de logística reversa que permita coletar, em toneladas equivalentes, 50% da quantidade de resíduos gerados pelas embalagens.

Sociobiodiversidade

  • alcançar 10 mil famílias nas cadeias produtivas da Pan-Amazônia (2.188 famílias em 2013);
  • movimentar R$ 1 bilhão em volume de negócios na Amazônia (de 2010 a 2020) (R$ 388 milhões em 2010-2013).

Água

  • implementar estratégia para redução e neutralização de impacto, com base na medição de pegada hídrica e considerando toda a cadeia de valor da Natura.

Energia

  • implementar estratégia para aumento do consumo de energia renovável.

Em “Rede de Relações”, a empresa acredita na contribuição positiva para o desenvolvimento dos públicos com os quais se relaciona, fomentando ações de educação e empreendedorismo por meio de plataformas colaborativas, como o Movimento Natura, lançado neste ano, que tem como objetivo identificar causas socioambientais relevantes e conectá-las a voluntários que tenham interesse em dedicar seu tempo e suas habilidades.

Nesse aspecto, as diretrizes são:

Consultoras

  • aumentar significativamente a renda média real das consultoras Natura;
  • despertar o interesse pelo aprendizado constante e oferecer uma ampla oferta de educação que atenda às necessidades desse público;
  • criar indicador para avaliar o desenvolvimento humano das consultoras e dos consultores e estruturar estratégia para melhoria significativa.

Colaboradores

  • atingir índice de mulheres em cargos de liderança de 50% (29% em 2013);
  • ter um quadro de colaboradores com 8% de pessoas com deficiência (4,3% em 2013);
  • alavancar seu potencial de realização e empreendedorismo por meio do engajamento à cultura da Natura.

Comunidades

  • fazer evoluir os indicadores de medição do desenvolvimento humano de comunidades e estruturar plano para melhoria significativa dessa realidade;
  • implementar estratégia para os territórios da sociobiodiversidade na região pan-amazônica e nas comunidades do entorno por meio do diálogo e da construção colaborativa com as populações e os atores locais.

Fornecedores

  • até 2015, garantir a rastreabilidade de 100% dos insumos produzidos pelos fabricantes diretos (último elo de fabricação) e, até 2020, implementar um programa de rastreabilidade para os demais elos da cadeia.

Já em “Gestão e Organização”, a administração integrada dos aspectos financeiro, social, ambiental e cultural estará ainda mais incorporada à cultura organizacional e permeará todos os processos da empresa, estimulando a geração de práticas de vanguarda, fonte de inspiração e referência de comportamento empresarial. Por meio de seu comportamento, seus posicionamentos e suas propostas, a empresa quer dialogar com a sociedade e contribuir para o seu desenvolvimento, valorizando sua diversidade. A certificação “B Corp” da natura faz parte da escolha dos melhores parâmetros mundiais que ajudem a companhia a evoluir e desafiar sua estratégia de sustentabilidade.

São estas as diretrizes nesse pilar:

Modelo de Gestão

  • implementar a valoração de externalidades socioambientais, considerando os impactos positivos e negativos de toda a cadeia de valor da empresa para fazer evoluir sua gestão tripple bottom line.

Engajamento com públicos de relacionamento

  • apoiar a discussão e o debate público de temas relevantes para o bem comum da sociedade e seu desenvolvimento sustentável, apoiando a viabilização de soluções e alternativas nos mercados nos quais a empresa atuar.

Comunicação, ética e transparência

  • institucionalizar um modelo de governança com engajamento externo, dando voz contínua aos públicos de relacionamento na evolução da gestão e estratégia;
  • implementar transparência radical no fornecimento de informações de produtos e sobre a implantação e evolução da “Visão de Sustentabilidade”.

Com informações fornecidas pela Burson-Marsteller Brasil, Assessoria de Imprensa da Natura

Legenda da foto: Pedro Passos e Luiz Seabra, da Natura, Jay Coen Gilbert, Fundador do B Lab, Roberto Lima e Guilherme Leal, também da Natura.

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.