O Instituto - Opiniões e Análises

Compartilhar

Hábitos de pensamento para guiar a tomada de decisões durante a pandemia da Covid-19: Reflexão

Extrair conhecimento de qualquer experiência ajuda a evitar equívocos

Dando continuidade à descrição dos quatro hábitos de pensamento a partir do ponto de vista da sustentabilidade desenvolvidos pela Sara Parkin, depois de tratar dos dois primeiros, resiliência e relacionamentos, abordarei neste artigo a importância da reflexão.

Reflexão

As nossas organizações estão reservando um tempo para pensar sobre os fatos e acontecimentos, de modo a aprender com a experiência e aplicar os aprendizados obtidos ao futuro diante dos efeitos da pandemia?

As nossas organizações buscam, regularmente, um tempo à reflexão? Muitas pessoas pensam sobre incidentes e conversas; mas será que elas acham que um tempo para refletir é tão importante quando se exercitar ou comer bem? Acredito que teríamos poucos “sim” como resposta.

A vida agitada torna o tempo precioso, de modo que pensar no dia seguinte é difícil, para não falar em fazer uma pausa a fim de refletir sistematicamente sobre as adversidades que vivenciamos em períodos de crises.

Nas decisões que as organizações precisam tomar em situações difíceis, a prática reflexiva é importante por duas razões:

  • Para desenvolver o conhecimento sobre os detalhes que compõe uma crise – trata-se, pura e simplesmente, de uma boa prática de aprendizado.
  • Para aprender, com base na experiência, o que funciona e o que não funciona a fim de não repetir erros e assumir um comportamento adequado – e progredir.

Muitos dos problemas que as organizações estão vivendo diante da pandemia ou que viverão no futuro breve não foram experimentados antes, assim, o sucesso vai depender de quão bem as organizações serão capazes de desmontar o seu conhecimento e a percepção atual sobre como a complexidade dos problemas se dão e depois colocar tudo junto novamente para dar forma a uma nova solução.

Treinar para ser reflexivo não precisa ser complicado e pode se tornar rapidamente um hábito. Pode-se escolher a maneira que lhe convém de praticá-lo – quando estiver se exercitando, rabiscando em um caderno, conversando com amigos e colegas ou as três coisas. Mas, quer estejamos aperfeiçoando conhecimento e ideias para uma pessoa ou uma organização, partilhar o que aprendeu é tudo.

Extrair conhecimento de qualquer experiência ajuda a evitar ou agravar os equívocos nas tomadas de decisão nas organizações em períodos de crise. Também aumenta as chances de um bom julgamento no presente, por mais complicado e incerto que o futuro possa parecer. Aplicar aquilo que sabidamente funciona e recorrer à imaginação para melhorar a boa prática foi o que garantiu o sucesso da evolução. Se aprendermos a parar e refletir antes de tomar uma decisão ou agir, podemos fazer o mesmo.

No próximo artigo trarei a descrição do quatro e último hábito de pensamento: reverência.

Por: Fábio Risério, sócio diretor da Além das Palavras, consultoria que atua no engajamento estratégico dos temas de Integridade e Sustentabilidade nos negócios e professor das disciplinas de Ética Empresarial e Negócios e Organizações Sustentáveis na FDC, FIA e PUC-Campinas.

Foto: Unsplash

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.