NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS INSTITUCIONAL

A importância da regionalização das ações de sustentabilidade

Caio Magri, diretor-presidente do Ethos, fala sobre como o Instituto chegará a novas regiões em 2020

11/03/2020

Compartilhar

Entre os assuntos debatidos no mês de fevereiro/2020 no programa Responsabilidade Social da Rádio Jornal Pernambuco, Caio Magri, diretor-presidente do Ethos, falou sobre a estratégia de regionalização do Instituto nesse ano, que terá o objetivo de ampliar o debate sobre a importância de ações em sustentabilidade.

“Há a necessidade de ampliar os espaços de diálogo sobre as agendas de sustentabilidade e as grandes capitais são lugares que já têm um conjunto de iniciativas acontecendo, centralizadas, principalmente, no eixo Rio – São Paulo. Por isso, acreditamos que esse debate tem que se espalhar pelo Brasil e criar uma base social que organize empresas em torno da sustentabilidade”, pontuou Caio.

Durante o ano de 2020, o Instituto Ethos quer levar discussões sobre sustentabilidade a novos locais, além de também se aprofundar nessas agendas trabalhando temas locais: “Em 2020, manteremos a estratégia de regionalização para ampliar o leque de atores nesse processo, mas também pretendemos tratar questões locais que precisam ter atuação local. Vamos buscar atuar na região do agronegócio, como Paraná, Mato Grosso e Amazônia, que são territórios importantes nessa pauta. Existem desafios muito grandes no agronegócio, na agricultura e na pecuária que dizem respeito a sustentabilidade, além de também podermos apresentar os bons exemplos que estão acontecendo.”

Caio ressaltou que as Conferências Ethos serão mantidas no Recife, em Belém, no Rio de Janeiro e em São Paulo, sempre buscando dialogar com as empresas associadas ao Ethos que estão nessas regiões e para ampliar a base social que se compromete com a agenda de sustentabilidade.

O diretor-presidente do Instituto ressaltou que o processo de regionalização é importante para conquistar “mentes e corações” para o debate e ações em responsabilidade social e sustentabilidade e apontou que a transparência também é fundamental nesse processo: “É necessário trazer esses desafios para a mesa e buscar entender que responsabilidades temos no processo de conquistar mentes e corações. A responsabilidade é compartilhada entre empresas, sociedade e governos no enfrentamento dos grandes desafios sociais, ambientais e econômicos que temos agora no Brasil. Precisamos ser transparentes e propositivos para alcançarmos os objetivos, além de termos disposição para dialogar com os diferentes e encontrar soluções conjuntas, principalmente para os desafios na agenda de desigualdades no Brasil.

Ouça o programa completo.

Por: Laís Thomaz, do Instituto Ethos

Foto: Unsplash

CONTATO

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.