NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS

Copa: há pouco diálogo entre os órgãos de controle

26/06/2013

Compartilhar

Durante seminário em Belo Horizonte, órgãos de controle interno e externo do Estado, do município e da União debatem integração das ações

Representantes de órgãos do controle interno e externo do governo de Minas Gerais, da Prefeitura de Belo Horizonte e da União debateram sobre as dificuldades para a integração de trabalhos durante o seminário “Transparência na Copa 2014: Como Está Esse Jogo? – II Ciclo Permanente de Debates sobre a Copa 2014 – Controle Interno e Externo”, realizado no último dia 19 de junho, na capital mineira.

O diagnóstico geral dos presentes foi de que ainda há pouco diálogo entre os órgãos de controle e, portanto, quase não há troca de informações que possam ajudar a desenvolver o controle interno.

“Precisamos usar esse gancho da Copa para manter a rede de órgãos que criamos. Ela precisa acontecer não só nos megaeventos”, afirmou Inês Pinheiro, representante de Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG).

Inês Pinheiro apresentou o sistema de monitoramento e fiscalização dos investimentos da Copa de 2014, o Fiscopa, criado por um grupo do TCE-MG. Ali é possível acompanhar os 23 processos em tramitação no órgão sobre o megaevento. Para incentivar a denúncia e participação popular, foi criado também um canal de diálogo com a população, o Minas de Olho na Copa. Ela também destacou o trabalho conjunto com as controladorias do Estado e da União.

Na avaliação de Eduardo Fagundes Fernandino, subcontrolador de Auditoria e Controle de Gestão da Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais, o fato de o controle interno ser uma prática recente no país faz com que faltem profissionais qualificados. Ele ainda acrescenta outro problema: “Até pouco tempo atrás, as práticas administrativas não tinham como objetivo a transparência”. Para ele, “os procedimentos internos terão que se adequar e isso vai levar tempo para amadurecer”.

Já o auditor-geral do município de Belo Horizonte, Milton de Souza Júnior, destacou que algumas das informações que foram divulgadas nos portais de transparência eram novidades até para os gestores públicos: “A reivindicação por transparência ajudou a melhorar a administração publica”.

Carlos Roberto Ruchiga Correa Filho, da Controladoria-Geral da União, apresentou os avanços no do Portal da Transparência/Copa 2014, mantido pelo governo federal.

Veja também a matéria “Seminário em BH debate transparência na Copa“, sobre a primeira parte deste evento.

Início da rodada nacional

O seminário de Belo Horizonte foi o primeiro de uma série que vai rodar todas as cidades-sede da Copa de 2014 até o final deste ano, debatendo a transparência dos investimentos públicos para a realização dos mega-eventos.

O próximo seminário “Transparência na Copa 2014: Como Está Esse Jogo?” será em Cuiabá, no dia 8 de agosto de 2013.

Por Pedro Malavolta, do Instituto Ethos

Na foto A partir da esquerda, Milton de Souza Júnior, auditor geral do Município de Belo Horizonte, Eduardo Fagundes Fernandino, da Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais; Regina Helena A. Silva, do Centro de Convergência de Novas Mídias da UFMG; Carlos Roberto Ruchiga Correa Filho, da Controladoria-Geral da União, e Inês Maria Kellis Pinheiro, do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

Crédito: Richard/Instituto Ethos.

 

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.