NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS GESTÃO SUSTENTÁVEL

Guia Exame de Diversidade divulga resultados

Evolução é observada e mais avanços serão necessários

15/06/2020

Compartilhar

O Guia Exame de Diversidade, uma iniciativa do Instituto Ethos e da Exame, chegou à sua segunda edição. Elaborado com o objetivo de avaliar as melhores práticas em diversidade e inclusão, considerando aspectos quantitativo e qualitativos, na edição de 2020 um total de 52 empresas foram listadas por apresentarem o melhor desempenho por setor e por categoria – étnico-racial, mulheres, LGBTI+ e pessoas com deficiência.

Nesta edição, 96 empresas fizeram inscrição, das quais 81% se declararam de grande porte; 15%, médias; e 4%, pequenas e micro. E, as 52 que obtiveram destaque estão divididas em 18 setores, como bens de consumo, tecnologia, serviços, agronegócio, entre outros.

A empresa escolhida como “empresa do ano” foi a Sabin Análises Clínicas e os destaques por recorte foram: Mulheres – Avon, Étnico-racial – Santander, Pessoas com Deficiência – Sodexo e LGBTI+  – PwC. Parabenizamos todas as companhias reconhecidas e reforçamos a mensagem de que sigam comprometidas com essa agenda.

“Mais do que nunca devemos reiterar o compromisso com a responsabilidade social empresarial.  Reforçar a permanência dos valores essenciais para a estratégia corporativa na gestão dos seus negócios com sustentabilidade e com garantia dos direitos humanos. Dentre esses valores, entendemos que a diversidade e a manutenção de ações afirmativas nas empresas se torna ainda mais necessária. As empresas, que detém influência e voz, não podem se eximir da responsabilidade de promover as ações necessárias em benefício da diversidade. Não podem descumprir os acordos anteriormente estabelecidos”, acredita Caio Magri, diretor-presidente do Ethos.

Avaliação

As empresas passam por várias etapas, a começar pela inscrição, com preenchimento de um questionário eliminatório. Seguiram participando da avaliação somente as companhias que atingiram a nota de corte maior do que 7, sendo considerado que 70% da nota é atribuída às práticas qualitativas e 30% aos dados quantitativos.

Na segunda etapa, as empresas com melhor pontuação foram entrevistadas pela equipe de reportagem da Exame, que confirmou os dados quantitativos e fez uma análise mais profunda das ações de diversidade.

Para a avaliação, foi criada uma metodologia própria com base na adaptação de uma série de guias temáticos dos Indicadores Ethos, com fases de diálogo e validação com parceiros como o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), a Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero, o Fórum de Empresas e Direitos – LGBTI+, o Movimento Mulher 360 e a Rede Empresarial de Inclusão Social (REIS).

Evolução

Na primeira edição do Guia Exame de Diversidade, 36 empresas foram destacadas com notas acima da média, ou seja, igual ou maior do que 7, no desempenho geral. Além do aumento para 52 companhias neste ano, observa-se também, uma evolução na maturidade do desenvolvimento de políticas de diversidade. Se na primeira edição, 41% das empresas incluíam metas de promoção da diversidade e de inclusão na avaliação dos executivos, agora 52% responderam positivamente a essa questão. A média geral melhorou (de 6,1 para 7,07), sendo que 54 empresas participaram das duas edições. E, quando isolamos apenas as que participaram das duas edições, temos uma média um pouco melhor (7,5).

“As empresas continuam tendo muito o que avançar: ao mesmo tempo em que vemos progresso e o compromisso com metas de longo prazo, observamos desafios significativos relacionados à presença de negros, pessoas com deficiência, pessoas trans e mulheres nesses espaços corporativos e em cargos de liderança. A melhora entre um ano e outro mostra a disposição que tiveram no sentido de investir em novas práticas de diversidade e inclusão e, por essa razão, fica evidente a necessidade de o momento atual, de crise, gerar continuidade de ações e não retrocessos”, analisa Ana Lucia Melo, diretora-adjunta do Instituto Ethos.

A diversidade nas empresas

Ao todo, 91% das empresas participantes afirmam promover a diversidade e a inclusão como um meio sustentável de obter resultados positivos nos negócios. A maioria delas indica que os resultados esperados estão relacionados à melhoria do clima organizacional, atração e retenção de talentos, aumento da produtividade e pesquisa e desenvolvimento de produtos ou serviços. “O fato de as empresas, em sua maioria, estarem engajadas com iniciativas públicas, como fóruns e iniciativas de promoção da diversidade e inclusão, fortalece a compreensão que têm sobre a agenda e o compromisso com a evolução de suas ações”, aponta Ana Lucia Melo.

Gênero ainda é a prioridade das companhias (68% das empresas declaram ter metas para reduzir a desproporção dos cargos ocupados por homens e mulheres em quadros gerenciais e executivos), mas o compromisso por maior diversidade cresceu: 40% das empresas (na edição anterior, foram apenas 26%) afirmam ter metas para reduzir a desproporção dos cargos ocupados por pessoas negras e brancas em quadros gerenciais e executivos. E 30% das empresas (contra 17% da edição passada) indicam ter metas para reduzir a desproporção dos cargos ocupados por pessoas com e sem deficiência em quadros gerenciais e executivos.

Para saber mais

Acompanhe em nossas redes sociais os eventos e dados sobre o Guia Exame de Diversidade 2020.

No dia 24 de junho, o Ethos realizará uma live para comentar os resultados do Guia Exame de Diversidade 2020 e tratar das perspectivas, construindo uma visão sobre diversidade e inclusão no momento e no pós-pandemia. A live será transmitida através do canal do Ethos no YouTube a partir das 15 horas e contará com a participação de: Daniel Teixeira, do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT); Ivone Santana, da Rede Empresarial de Inclusão Social (REIS); Margareth Goldenberg, do Movimento Mulher 360; e Reinaldo Bulgarelli, do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+; com mediação de Ana Lucia Melo, do Instituto Ethos.

Por: Rejane Romano, do Instituto Ethos

Foto: Unsplash

CONTATO

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.