NOTÍCIAS

Direitos Humanos
Institucional
Gestao Responsavel
Integridade
Ambiental

ETHOS

Sistema Habitacional Precon enfrenta dilemas da construção civil com sucesso

18/09/2013

Compartilhar

Pelo reconhecimento, gestores vão ao Fórum de Lille, na frança, apresentar essas experiências.

Um dos desafios da Conferência Ethos 2013 era aproximar teoria e prática para andarem juntas no desenvolvimento de  negócios sustentáveis e responsáveis. Por isso, além de oferecer as tradicionais palestras e debates, este ano a programação trouxe também entre os módulos de análises de casos e de modelos de negócios sustentáveis. Na verdade, eles se constituíram em exercícios de análises de casos concretos e de modelagem de negócios sustentáveis.

Nos três dias de Conferência, 5 casos e 6 modelos que passaram pela pré-seleção foram apresentados ao vivo a uma banca de especialistas e ao público que, ao se inscrever na Conferência, escolheu participar das sessões de análise de casos ou de modelos.

Os seis modelos selecionados para a Conferência foram Optimale Soluções; – Konkero; Limpgas Tecnologia em Descarte de Gases Industriais Ltda; Extrair; Desfruta e Treebos. 

No que tange aos casos concretos, os cinco selecionados para serem apresentados ao público foram: Walmart Sustentabilidade Ponta a Ponta; Natura Sou; JBS Sustentabilidade a serviço do negócio; Light Legal e Sistema Habitacional Precon (SHP).

Treebos e SHP foram reconhecidos como os melhores modelo e caso de negócios sustentáveis da Conferência Ethos 2013. Por esse reconhecimento, os gestores vão ao Fórum de Lille apresentar essas experiências.

Quem quiser saber detalhes desses dois exemplos e de todos os modelos e casos aqui citados pode acessar o site do Instituto Ethos: www.ethos.org.br

Nesse comentário, vamos destacar a experiência do Sistema Habitacional Precon (SHP), pelos dilemas socioambientais que a solução apresentada enfrenta num setor particularmente estratégico para a economia e o desenvolvimento sustentável.

Contexto socioeconômico e ambiental

O setor da construção civil tem um papel fundamental a desempenhar para o desenvolvimento sustentável. O Conselho Internacional da Construção (CIB) aponta essa indústria como uma das atividades humanas que mais consome recursos naturais e utiliza energia de forma intensiva, gerando consideráveis impactos ambientais. Além dos impactos relacionados ao consumo de matéria e energia, há aqueles associados à geração de resíduos. Estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. Diante desse quadro, o CIB tem recomendado que países adotem diretrizes no sentido de cada vez mais ordenar sua indústria para: busca de soluções que potencializem o uso racional de energia ou de energias renováveis; gestão ecológica da água; redução do uso de materiais com alto impacto ambiental; redução dos resíduos da construção ; especificações que permitam a reutilização de materiais.

As estatísticas relativas à realidade brasileira mostram que, no aspecto ambiental, 40% dos materiais consumidos vão para a construção civil; o setor gera 30% do lixo sólido e representa 20% do consumo de água e 35% da energia de toda a sociedade brasileira. No aspecto social, a informalidade, alta rotatividade, a má formação profissional e a baixa produtividade são os obstáculos a serem superados para garantir a esses profissionais mais renda e qualidade de vida.

A Precon investiu 20 anos em pesquisas e desenvolveu o Sistema Habitacional Precon (SHP) buscando reduzir ao mínimo os impactos socioambientais da atividade e manter a margem econômica da empresa. A solução encontrada foi trazer para a construção civil o conceito de “montadora” utilizada na industria automobilistica.

O resultado desse investimento, valorizado na análise do caso na Conferência Ethos, foi ter conseguido uma tecnologia que melhora a qualidade das edificações e, ao mesmo tempo, aumenta a sustentabilidade econômica e socioambiental do produto, que pode ser percebida pelos seguintes indicadores:

– sistema construtivo com alto padrão de qualidade e maior produtividade, pois reduz o tempo de construção pela metade;

. redução do consumo de recursos naturais e das perdas com a redução da produção de residuos em 81%  em relação a construção tradicional;

– mão de obra contratada é 100% formal;

– tecnologia de industrialização adotada pela Precon permitiu produção em série, garantindo ganhos de escala e redução do custo. O custo atual se equipara com o da construção tradicional em R$ 850,00 por m2.  E já está em fase de implementação uma inovação no sistema construtivo que vai permitir uma redução de 6,5% do custo total da obra.

Essa tecnologia já responde por 60% do faturamento da Precon, uma empresa fundada em 1963 e que começou a trabalhar com a SHP a partir de 2010. Em 2011, representou 11% do faturamento. Em 2012, pulou para 40%.

A limitação desse sistema construtivo é que a Precon não consegue atender regiões que estejam a mais de 300 km de sua unidade fabril, que fica na Grande Belo Horizonte. Hoje, a SHP está focada em clientes residenciais, nas faixas entre 3 e 10 salários mínimos do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Essa limitação pode ser superada pela ampliação da atuação da empresa para outros públicos e segmentos. Ou por meio de parcerias com outras incorporadoras, induzindo-as, inclusive, a refletir sobre suas práticas e a implementar mudanças na gestão no caminho da sustentabilidade.

Legenda da foto: Marcelo M. de Miranda

CONTATO

  • endereçoRua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 - Pinheiros
  • endereço05415-030 São Paulo - SP
  • endereço* Para correspondências. Estamos 100% em trabalho remoto
  • telefone(55 11) 3897-2400
  • email[email protected]
  • horárioDe segunda a quinta - das 9h às 17h, sexta das 9h às 15h
  • imprensa(55 11) 3897-2416 / [email protected]
  • trabalhe conoscoTrabalhe Conosco

© 2016-2020 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.